Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas (PO APMC)

O Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas pretende ser um instrumento de combate à pobreza e à exclusão social em Portugal. Considerando que as principais causas são estruturais, mas agravadas por fatores conjunturais, o Programa foi desenhado (tendo como foco os referidos objetivos) numa lógica de intervenção mediante apoio alimentar e outros bens de consumo básico, assim como no desenvolvimento de medidas de acompanhamento que capacitem as pessoas mais carenciadas a vários níveis, promovendo assim a sua inclusão.

O Programa visa, com a sua atividade, diminuir as situações de vulnerabilidade que colocam em risco a integração das pessoas e dos agregados familiares mais frágeis, reforçando as respostas das políticas públicas existentes, nos diferentes territórios nacionais, sob a tutela do Instituto de Segurança Social.

O Centro Social de Santa Maria de Sardoura, desde 2017, assume-se como entidade coordenadora e mediadora, no âmbito deste Programa, que tem como território de intervenção os concelhos de Castelo de Paiva e Arouca. Atendendo a esta abrangência territorial, o Programa impõe uma intervenção articulada e em parceria com outras entidades, pelo que foi estabelecido um protocolo de parceria com o Centro Social do Couto Mineiro do Pejão (Castelo de Paiva) e com o Patronato – Centro Paroquial e Social Santa Mafalda (Arouca), constuindo—se estas como entidades mediadoras.

O POAPMC definiu para o terrirório de Castelo de Paiva e Arouca, uma abrangência de 219 indíviduos em situação de carência económica, devidamente comprovada, para aceder a uma cabaz mensal de produtos alimentares previamente definidos, esperando fazer a diferença na vida das pessoas e suas famílias.

“Eu sei que o meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem ele o oceano seria menor.”

(Madre Teresa de Calcutá)